Fies vai oferecer 250 mil contratos de financiamento no 1º semestre de 2016

MEC diz que áreas prioritárias serão contempladas com 63% dos contratos. 41% das vagas serão ofertadas em universidades privadas do Sudeste.

O Ministério da Educação (MEC) vai oferecer 250.279 contratos de financiamento na edição do primeiro semestre do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As inscrições para o processo seletivo começaram nesta terça-feira (26). O prazo termina às 23h59 de sexta-feira (29). Os interessados devem se inscrevem pelo site http://fiesselecao.mec.gov.br.

As inscrições foram abertas por volta das 17h desta terça-feira. O resultado da pré-seleção na chamada única e a lista de espera serão divulgados no dia 1º de fevereiro.

O Fies é uma das três principais iniciativas do governo federal na gestão do ensino superior. Enquanto o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) seleciona para vagas em universidades públicas e o Prouni (Programa Universidade para Todos) concede bolsas em instituições particulares, o Fies oferece contratos de financiamento com foco em alunos de baixa renda.

Mercadante diz que, na atual edição, 65,4% dos contratos serão oferecidos para alunos de cursos com conceitos 4 e 5 nas avaliações do MEC.

Além disso, apontou que três áreas consideradas prioritárias pelo MEC responderão por 63% dos contratos: as chamadas “engenharias” terão 34.557 vagas; “formação de professores”, 47.115; e saúde, 76.092. As demais áreas terão 92.515 vagas.

O MEC ainda destacou que 47% das vagas nos cursos superiores serão ofertadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, enquanto a Sudeste terá 41%. Mercadante diz que, apesar dos esforços para ampliar a oferta nos estados mais carentes, o quadro ainda reflete a maior concentração de faculdades privadas no Sudeste do país.

Leia mais

Anúncios

45% dos contratos do Fies entre 2010 e o 1º semestre ficaram no Sudeste

G1 comparou o volume de contratos e o de matrículas de cada região.
Nº de vagas em 2016 deve ser igual ou maior que em 2015, diz ministro.

Fonte: G1 Educação

Entre 2010 e o primeiro semestre de 2015, quase metade dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para cursos de graduação foram assinados pelo governo federal com estudantes do Sudeste. Nesse período de cinco anos e meio, em que as regras do programa eram mais flexíveis em relação aos cursos e instituições participantes, o número de financiamentos chegou a 2.143.645, segundo dados do Ministério da Educação aos quais o G1teve acesso.

Na tarde desta terça-feira (8), o Ministério da Educação afirmou que as regras do Fies para 2016 serão divulgadas em uma portaria “nos próximos dias”. O MEC não deu detalhes específicos sobre as mudanças, mas afirmou que estão mantidas a prioridade para vagas de cursos com avaliação 5 e 4 e de cursos considerados “estratégicos para o desenvolvimento do país”, como os de saúde, formação de professores e engenharias.

“Além desses fatores serão também considerados na distribuição das vagas o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região e a demanda por ensino superior nas localidades, o que levará em conta o número de estudantes da região que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)”, disse o MEC, em nota.

Contratos do Fies X matrículas do Censo
Do total de vagas, o Sudeste responde por 972.744 contratos, ou 45,38%. São Paulo foi o estado com o maior número de estudantes financiados pelo programa. A porcentagem de contratos do Fies no Sudeste, porém, é mais baixa que o peso que a região tem no total de matrículas em universidades e faculdades particulares. Em 2013, o Censo da Educação Superior apontou que a região concentrava 52,87% de todos os estudantes universitários do país (veja o gráfico). Os dados detalhados do Censo da Educação Superior ainda não foram divulgados pelo governo.

Leia mais

Fies 2016 não vai privilegiar Norte e Nordeste e sim locais de baixo IDH

Fonte: O Estado de S. Paulo

O setor de educação traçou, em reunião com o Ministério da Educação na sexta-feira (4), novos critérios para distribuição de vagas do programa de financiamento Fies em 2016. O Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior) informou que, entre as alterações, está o fim da regra que privilegia cursos nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste e o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) passa a ser utilizado para privilegiar regiões carentes.

De acordo com o Semesp, o MEC não vai mais usar como critério a macrorregião, mas sim as microrregiões que têm os piores indicadores de IDH. Também será levado em conta no cálculo da distribuição de vagas por curso e instituição de ensino o número de alunos de cada microrregião que realizou o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e a demanda por Fies em cada localidade.

Em um vídeo destinado a orientar os proprietários de universidades, o diretor executivo do Semesp, Rodrigo Capelato, afirmou que o uso do Enem como critério visa levar em conta o potencial de alunos que cada região tem para ingressar no ensino superior.

Diferente do processo do Fies no segundo semestre de 2015, o MEC não vai mais levar em conta o histórico das instituições de ensino no preenchimento de vagas no Fies. Esse foi um critério questionado pelo setor sob acusações de que houve “reserva de mercado” para grandes grupos que já tinham um número alto de vagas no Fies nos últimos anos.

Capelato afirmou que continua valendo o uso do critério de cursos em áreas prioritárias. Cursos de saúde, pedagogia e engenharias serão privilegiados, mas, em 2016, o MEC irá introduzir ainda um peso maior para cursos vistos como mais estratégicos, caso da medicina.

O Semesp informou ainda que o MEC reforçou nas conversas que não pretende adotar em 2016 o limite para reajuste nas mensalidades do Fies usado em 2015. A expectativa é de que cerca de 300 mil novas vagas no programa sejam ofertadas no próximo ano.

Perto do término do ano letivo, Fies ainda tem 22 mil vagas ociosas

Fonte: O Globo

Novas regras e juros maiores podem ser as causas da procura menor pelo financiamento

Brasília – A menos de um mês do fim do ano letivo, 22.140 das 61.500 vagas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) abertas para o segundo semestre de 2015 ainda não foram preenchidas. O número corresponde a 36% do total. Um dos principais entraves tem sido as regras adotadas na última seleção do programa: nota igual ou maior a 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e renda de até 2,5 salários mínimos per capita dentro de casa. O problema é que muitos estudantes que apresentaram bom desempenho têm ganhos familiares maiores que o teto estipulado no edital. Além disso, a taxa de juros cobrada dos estudantes subiu de 3,4% para 6,5% ao ano.

Até a seleção do primeiro semestre deste ano, o Fies não exigia pontuação mínima no Enem e o limite de renda familiar era de 20 salários mínimos. Hoje, os estudantes também passaram a ser escolhidos de acordo com a nota — antes, a inclusão no Fies era feita por livre demanda. O governo federal informou que vem estudando as razões para a ociosidade das vagas com o objetivo de aperfeiçoar o próximo edital (do primeiro semestre de 2016). Mas, por enquanto, não cogita modificar as regras do programa.

Por meio de uma nota, o Ministério da Educação ressaltou que “o processo seletivo referente ao Fies no segundo semestre ainda está em curso e as instituições podem convocar os estudantes em lista de espera para assinar os contratos até o final do ano”. De acordo com o órgão, se for comprovado que o aluno cursou todo o semestre antes de conseguir formalizar o contrato, o governo honrará os gastos.

Continue Lendo “Perto do término do ano letivo, Fies ainda tem 22 mil vagas ociosas”

Fies tem prazo de renovação de contratos prorrogado até novembro

Novo prazo é dia 30 de novembro.
Portaria foi publicada no ‘Diário Oficial da União’ desta sexta.

Fonte: G1 Educação

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou para o dia 30 de novembro o prazo para a renovação de contratos do Fundo de  Financiamento Estudantil (Fies). A medida vale para contratos firmados no primeiro e segundo semestres de 2015.

A portaria que altera o prazo foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (30).

Estudantes que firmaram contratos em 2015 também tiveram prazo de transferência prorrogado até 30 de novembro. A portaria prevê o prazo para pedidos de “transferência integral de
curso ou de instituição de ensino e de solicitação de dilatação do prazo de utilização do financiamento”.

Segundo a portaria, a mesma data limite também vai ser aplicada para realização de aditamento de suspensão temporária e encerramento antecipado do prazo de utilização do financiamento, referente ao segundo semestre de  2013, primeiro e segundo semestres de  2014 e ao primeiro  semestre de 2015.

Os aditamentos devem ser feitos por meio dosistema informatizado do Fies nas páginas do MEC.

Crescimento do Fies
O Fies é o programa do MEC que financia cursos de ensino superior para estudantes brasileiros. Ele foi reformulado em 2015 depois de crescer de forma exponencial nos últimos anos.

Para conter gastos, o MEC decidiu limitar o prazo para pedido de novos contratos (antes, era possível entrar com a solicitação em qualquer momento do semestre letivo), vincular a aceitação do pedido de financiamento a cursos com notas mais altas nos indicadores de qualidade, privilegiar instituições de ensino fora dos grandes centros e exigir que os estudantes interessados em contratos de financiamento do governo tivessem média de pelo menos 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

As novas restrições no programa, porém, se depararam com a crescente demanda dos estudantes, e o resultado foi um período de instabilidade nos sistema, devido à grande procura por novos contratos, e o esgotamento da verba do Fies de todo o ano de 2015 para novos contratos.

O orçamento do Fies para novos contratos durante todo o ano de 2015 era de R$ 2,5 bilhões e, segundo o ministro, essa verba foi gasta inteiramente para atender aos 252.442 novos contratos fechados no prazo do primeiro semestre. Segundo o MEC, 178 mil pessoas tentaram celebrar novos contratos e não conseguiram.

Fies tem prazo de renovação prorrogado

Novo prazo é dia 30 de novembro.
Portaria foi publicada no ‘Diário Oficial da União’ desta sexta.

Fonte: G1 Educação

O Ministério da Educação prorrogou para o dia 30 de novembro o prazo para a renovação semestral dos contratos do Fundo de  Financiamento Estudantil (Fies). A portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (30). Os contratos são referentes ao primeiro e segundo semestres de 2015.

A portaria também prorroga para a mesma data o prazo para transferência integral do curso ou de instituição de ensino e de solicitação de dilatação do prazo de utilização do financiamento, respectivamente, referentes ao primeiro e segundo semestres de 2015.
Segundo a portaria até o dia 30 de novembro também será liberada a realização de aditamento de suspensão temporária e encerramento antecipado do prazo de utilização do financiamento, referente ao segundo semestre de 2013, primeiro e segundo semestres de 2014 e ao primeiro semestre de 2015.
Os aditamentos devem ser feitos por meio do sistema informatizado do Fies nas páginas http://www.mec.gov.br e http://www.fnde.gov.br.

Fies do segundo semestre abre inscrições para 61 mil vagas

download Leia mais aqui

Estudantes terão até o dia 6 de agosto para se inscrever. Programa financia curso superior para brasileiros.

As inscrições para as 61.500 vagas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) começaram por volta das 2h desta segunda (3) e vão até as 23h59 do dia 6. As informações foram publicadas no “Diário Oficial da União”.
O MEC divulgou, em nota, que o prazo para o aditamento de contratos já vigentes do Fies também terá início nesta segunda (3). A data vale inclusive para o aditamento de contratos que não foram renovados no primeiro semestre. “Todos os estudantes que já estão no Fies e que, por alguma razão, não realizaram o aditamento referente ao primeiro semestre de 2015 podem fazê-lo durante o período de renovação do segundo semestre, que terá início em 3 de agosto”, diz o comunicado. Segundo o MEC, há menos de 100 mil pessoas nesta situação.