VII Conversa com o autor: PROGRAMA EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PARA CAPACITAÇÃO E INCLUSÃO NO TRABALHO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

5 FOLDER ELETRONICO-1

Inscrições Abertas – Educação: Construção da Identidade, Inclusão Social e Conquista da Cidadania

IV Conversa com o Autor acontece nessa tarde, na Fundação Cesgranrio, com Maria Judith Sucupira da Costa Lins

 

Conversa com o autor – Ana Ivenicki

A aplicação de métodos de pesquisa multicultural na avaliação do Plano Nacional de Educação foi o tema da terceira “Conversa com o autor”, promovida no dia 19 de maio pela equipe de Projetos Especiais da Fundação Cesgranrio, responsável pela Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação.

O encontro teve como palestrante a professora Ana Ivenicki, autora de diversos artigos publicados na Ensaio. Ana abordou o trabalho vem desenvolvendo por ela nos últimos anos, argumentando que a valorização da diversidade cultural e suas respostas nas áreas de conhecimento, na pesquisa e na avaliação podem representar caminhos inovadores para a Educação e para a formação de professores, em perspectivas transformadoras. Em seguida, a docente comentou seus desdobramentos na análise e na Avaliação de Políticas Públicas, com especial ênfase sobre o Plano Nacional de Educação (PNE-2011-2021), assim como a sua relevância para processos de pesquisa educacional e de formação docente. Por fim, ela analisou potenciais e perspectivas de desenvolvimento futuros do pensamento multicultural na educação.

Ana Ivenicki é PhD em Educação pela University of Glasgow. Tem Mestrado em Educação pelo Departamento de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, é Professora Associada da Faculdade de Educação da UFRJ. Possui inúmeras publicações em periódicos nacionais e internacionais, bem como livros publicados/organizados e vários trabalhos em anais de eventos. Tem sido Palestrante/Conferencista convidada em diversas instituições. Desenvolve pesquisas em Multiculturalismo e Formação de Professores, tendo especial interesse nas áreas de Educação Comparada, Avaliação da Aprendizagem e Avaliação Institucional. Em 2013, foi agraciada com o prêmio Cora Coralina pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) e a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), por sua contribuição à Educação com Inclusão Social.

Por Clarissa Macedo

 

Revista Ensaio lança “Conversa com autor” com a professora Rosa Torte

Por Clarissa Macedo

A equipe de Projetos Especiais, responsável pela edição da Revista Ensaio, iniciou, no dia 9 de março, um novo projeto, chamado “Conversa com o autor”, com a professora Rosa Torte, que atua no projeto social “Apostando no Futuro”, da Fundação Cesgranrio.

Rosa possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Nova Iguaçu (1975) e mestrado em Educação pela Universidade Salgado de Oliveira (2000) e doutorado em Política Educativa pela Universidade do Minho, em Portugal (2015). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Planejamento e Avaliação Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação, projetos sociais, integração escola-comunidade, educação de jovens e adultos, inclusão social, diversidade e editoração científica.

Na ocasião, a docente falou sobre sua tese de doutorado, que abordou a importância de programas de Alfabetização de Jovens e Adultos no Rio de Janeiro e seu significado para a inclusão social dessa população a partir de aspectos relevantes relacionados com os protagonistas deste processo, como alunos, professores, coordenadores, gestores e especialistas. Ela iniciou a palestra um poema de sua própria autoria sobre o valor desses programas, que foi muito apreciado pelo público:

– A inclusão social tão proposta ultimamente, / Só poderá ir em frente com a alfabetização. / Pessoas esclarecidas: Cidadania, autoestima / Cuidados, preservação, se farão muito presentes. O que está faltando, então? – dizia a última estrofe.

Rosa discorreu sobre sua tese, apontando conceitos, questões norteadoras, dados pesquisados – como a legislação e o histórico de programas de alfabetização de jovens e adultos no país –, a metodologia de pesquisa e os resultados encontrados em suas análises. Ela reforçou que a alfabetização, mais do que favorecer a educação, é um instrumento para o fortalecimento da cidadania e da inclusão dessas pessoas, bem como para melhoria da qualidade de vida. Segundo a docente, a intenção de sua pesquisa é levantar os problemas e propor soluções sobre ações com tal enfoque:

– Espera-se que a presente Tese possa gerar contribuições para equacionar as questões cruciais que emperram a Alfabetização de Jovens e Adultos – encerrou ela.

Segundo a professora Fátima Cunha, gestora da equipe de Projetos Especiais e editora da Revista Ensaio, a “Conversa com o autor” vai estimular o debate dos temas abordados na publicação:

– Uma tarde por mês, um autor será convidado para conversar com um grupo de leitores sobre seu artigo publicado na Ensaio. O encontro visa a contribuir para o debate, sanar dúvidas e discutir propostas, a partir da reflexão do artigo – disse a educadora.

Para os alunos das Classes de Alfabetização de Jovens e Adultos

Por Rosa Torte*

O preço da liberdade
não é medido em dinheiro.
Usando de lealdade,
partindo da realidade,
mostro o justo e verdadeiro.

A liberdade começa
naquele grande momento…
O jovem e o adulto têm pressa.
Estão cansados de esperar! …
Que ele chegue sem demora,
já passou a sua hora,
não se pode retardar.

A liberdade começa
com o domínio da leitura,
da escrita, da assinatura,
e dos cálculos, também.
Pois, no mundo dos letrados,
eloquentes e estudados.
Quem não lê, valor não tem …

A liberdade começa
com o fim da humilhação
que o analfabeto passa,
para ele uma desgraça,
que não tem comparação:
Para seu nome marcar,
para se identificar,
fazê-lo com o polegar,
pondo tinta em sua mão!

Entre os que não sabem ler
Encontramos persistentes
São pessoas resistentes,
Pessoas abnegadas,
Que mesmo estando cansadas,
sonolentas, alquebradas,
se esforçam para aprender!

Jovem ou adulto que frequenta
a alfabetização
ao contar a sua história
muito viva na memória
faz emergir a emoção.
Fala da vida sofrida,
da exclusão percebida,
descrevendo sua lida,
nos tocando o coração,
nos dando grande lição.

Se sentem inferiores
por serem analfabetos
Desconhecendo valores
por eles vivenciados
aprendidos, praticados
na vida, sem professores.

É preciso compromisso.
Ninguém deve ser omisso
frente a tal situação.
Esse problema tem jeito,
muito plano já foi feito…
É grande a necessidade,
de se dar continuidade.
Está faltando a integração!

A sociedade inteira
precisa dar atenção
ampliar sua visão
E abraçar a questão
Daquele que ainda não lê.
Ele não é invisível! …
Pode estar perto de nós.
se lhe derem vez e voz,
ele sai da “escuridão”.

A inclusão social
tão proposta ultimamente,
Só poderá ir em frente
com a alfabetização.
Pessoas esclarecidas:
Cidadania, autoestima
Cuidados, preservação,
se farão muito presentes.
O que está faltando, então?

Poema apresentado durante o evento Conversa com o Autor, no dia 09 de março, na Fundação Cesgranrio.

Conversa com o autor: Alfabetização de jovens e adultos na cidade do Rio de Janeiro – Brasil: o significado de um desafio para a inclusão social

FOLDER ROSA TORTE ELETRONICO-page-001