A Ensaio no 3º congresso internacional de Editores Redalyc!

http://congreso.redalyc.org/ocs/public/congresoEditores/publicacion-posteres.html#SeleccionAncla

revista Ensaio_Fátima Cunha e Erika Dias_Cesgranrio

A revista Ensaio e o seu compromisso com a difusão do conhecimento

Argumento

A Ensaio contribui para a difusão do conhecimento na área da Educação publicando textos relevantes para os leitores especializados ou não. Os artigos são oriundos de pesquisas qualitativas, quantitativas e/ou quali/quantitativas, bem como, são ensaios, reflexões profundas, embasadas em bibliografia recente e pertinente sobre políticas públicas em Educação ou em avaliação educacional.

 

Todos os anos recebemos mais de uma centena de artigos, dezenas deles pesquisas acadêmicas, financiadas por agências de fomento dos países das quais são originárias, elaboradas por pesquisadores reconhecidos, pesquisadores iniciantes e professores/pesquisadores.

Estes artigos são checados em virtude do plágio que, infelizmente, existe no meio acadêmico, e, sendo aceito para avaliação, são analisados por especialistas no sistema duplo-cego e ao serem aceitos para publicação passam por um processo de editoração final, marcação xml, inserção do DOI a fim de que a pesquisa seja disponibilizada o mais rápido possível nos indexadores que a Esnaio está inserida (Scielo, Educ@, Redalyc, Doaj, Latindex, Scopus, entre outros). Objetivando dar acesso ao público, formado por profissionais da área ou não, a textos que tratam sobre o estado da Educação no Brasil e no mundo, comparando e aprendendo com outras realidades que não a nossa, a fim de melhorarmos internamente o nosso sistema educativo. Entendemos que sem a circulação da informação de forma aberta este objetivo não seria cumprido.

 

Ideias que sustentam o argumento

Para se ter uma ideia, a Ensaio recebeu em 2015 cento e dez artigos; em 2016 recebemos 155 artigos; em 2017 recebemos 172 artigos; em 2018 já estamos com mais de 80 artigos. Anualmente publicamos 40 artigos em 4 revistas, em cada uma destas revistas procuramos sempre publicar ao menos um artigo que seja em espanhol, que discuta uma realidade diferente da nossa. Publicamos, usualmente, para cada bloco de dez artigos, um artigo de autores portugueses, um ou dois artigos em espanhol – em sua maioria de pesquisadores da América Latina -, mais precisamente do Chile, Equador, Peru e da Colômbia.

Como sabemos, a América Latina segue sendo um continente que espera que a educação seja um agente de mudança, de resolução dos grandes desafios que historicamente nos têm mantido, ainda hoje, como um dos territórios de maior desigualdade social. Embora tenhamos isso em comum, há diferenças nas realidades de cada país, e são estas diferenças e também as semelhanças que estão sendo investigadas nos artigos que publicamos, a fim de nos beneficiarmos dos avanços na Educação dos outros países. (Donoso-Díaz, 2016).

 

É interessante para a realidade da Educação brasileira entender como no Chile, por exemplo, a Educação básica melhorou. Como melhorou e porque melhorou. (BELLEI, C. et al, p. 13).

Como os princípios do brasileiro Paulo Freire podem afetar o ensino e a aprendizagem em tantos níveis e como sua obra é tão presente em dezenas de países, incluindo os da América Latina. Entendemos como Paulo Freire é relevante e atual pois seus ensinamentos sempre viram a necessidade de construir coletivamente processos de empoderamento de cidadãos – ação social coletiva de participar de debates que visam potencializar a conscientização civil sobre os direitos sociais e civis -, tomando como horizonte o respeito às diferenças e considerando os múltiplos contextos e histórias de vida dos sujeitos (FREIRE, 2011).

Por isso, para o pesquisador brasileiro, argentino ou mexicano, é tão relevante compreender de que forma a Educação básica e a Educação Superior no Chile melhorou, como se deu este melhoramento e de que forma isso pode ser aplicado aqui no Brasil. O Chile é apenas um exemplo. O interessante de publicarmos artigos que exploram um contexto diferente do que vivemos, para além da difusão do conhecimento em muitos níveis, é o de percebermos a necessidade de construir coletivamente processos de empoderamento – enquanto ação social coletiva de participar de debates que visam potencializar a conscientização civil sobre os direitos sociais e civis dos cidadãos -, tomando como horizonte o respeito às diferenças, considerando os múltiplos contextos e histórias de vida dos sujeitos, como nos ensinou o educador brasileiro Paulo Freire. (FREIRE, 2011).

 

Conclusão

Nossa tarefa é, portanto, expandir e fazer circular a informação científica no campo da Educação, pois acreditamos que a Educação e o conhecimento precisam ser para todos. Desta forma, pesquisadores, professores e estudantes de todas as partes poderão se beneficiar das experiências e vivências de sistemas educativos distintos, a fim de transformarem suas próprias realidades. Afinal, conforme Gramsci (1979), a Educação precisa ser um agente transformador da realidade, isto é, deve propiciar subsídio intelectual para construção de processos contra hegemônicos que superem as contradições presentes nas nossas sociedades.

 

 

Bibliografia

 

BELLEI, C. et al. Escuelas efectivas en sectores de pobreza: ¿Quién dijo que no se puede?. Chile: Unicef, 2003.

 

DONOSO-DÍAZ, Sebastián. (2016). EDITORIAL. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação24(92), 494-497. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-403620160003000011

 

FREIRE, Paulo.  Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra; 2011.

 

GRAMSCI, A. Os Intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1979.

 

 

 

Anúncios

O 2º número da Revista Linhas está no ar

É com grande satisfação que divulgamos o segundo número da Revista Linhas de 2018, com o Dossiê “Avaliação e Currículo em Educação Infantil: Diálogos entre Itália e Brasil”.

Desejamos a todos uma boa leitura!

http://periodicos.udesc.br/index.php/linhas/issue/view/635

 

rlinhas.png

Ensaio 99 disponível no SciELO

foto 99

A revista Ensaio 99, A1 na área da Educação e Ensino, já está disponível no site do Scielo.

Neste número publicamos 10 artigos – sete em português, dois em inglês e um em espanhol -, e um editorial em português.

São contribuições de pesquisadores nacionais e internacionais que discutem questões de políticas públicas em educação no Brasil,  em Portugal e na América Latina.

Confira a Ensaio online em http://scielo.br/ensaio e leia todos os artigos abaixo na íntegra.

editorial

·  Diversidade e controle: dilemas da avaliação e do currículo?
Ana Ivenicki

artigos

·  A influência do género nas salas de aulas de ciências: um estudo com docentes e estudantes de 9º ano
Margarida Oliveira,  Pedro ReisLuís Tinoca

·  Festival de professores como uma forma orientada para a prática de aperfeiçoamento das habilidades dos professores
Elena E. Merzon,  Yury V. SenkoElena V. Salimullina

·  “O que é o bom resultado?” Indagando o sentido da avaliação e suas articulações curriculares
Rita de Cássia Prazeres FrangellaJuliana Camila Barbosa Mendes

·  Diagnósticos da escolarização básica: um confronto de perspectivas
Alceu Ravanello Ferraro

·  Desenho e construção de um instrumento de avaliação da competição matemática: aplicabilidade prática de um julgamento de especialistas
Ramón García Perales

·  O direito à diversidade na via da interculturalidade no currículo escolar
Ana Maria EyngGlaucio Luiz Mota, Mônica Luiza Simião Pinto e Cleumir Sehn

·  As redes da Educação Integral no Distrito Federal sob o prisma da Gestão Escolar
Ivonete Ferreira de Sousa, Ranilce Guimarães-Iosif e Sinara Pollom Zardo

·  O papel dos testes padronizados na política educacional para o ensino básico nos Estados Unidos
Remo Moreira Brito Bastos

·  Políticas Públicas em Educação Superior a Distância – Um estudo sobre a experiência do Consórcio Cederj
Georgia de Souza Assumpção, Alexandre de Carvalho Castro e Álvaro Chrispino

·  Formação do empreendedor social e a educação formal e não formal: um estudo a partir de narrativas de história de vida
Lucimar da Silva Itelvino, Priscila Rezende da Costa, Maria da Glória GohnClaudio Ramacciotti

Acesse a Ensaio online em http://scielo.br/ensaio

Colóquios em Ensaio – VIII Edição

A revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação tem o prazer de convidar para a 8ª edição da série “Colóquios em Ensaio”, que acontecerá no dia 17 de abril, terça-feira, das 14h às 16h, no TEATRO BETH SERPA, da Fundação Cesgranrio, campus Rio Comprido. Na ocasião a Professora Thereza Penna Firme, mediada pela Professora Fátima Cunha, conversará com o público sobre avaliação. Pedimos que a sua presença seja confirmada até o dia 13/04/18 através do e-mail ensaioeventos@cesgranrio.org.br, contendo nome, instituição, e-mail.

Fotos: Cláudio Pompeu
Fundação Cesgranrio

Ensaio convida: VIIIª Edição – Série Colóquios em Ensaio

 

convite e-mail

Thereza Penna Firme

IMG_8675 (002)thereza

Foto: Cláudio Pompeu – Fundação Cesgranrio

 

Professora Fátima Cunha

IMG_7085 fatima1

Foto: Cláudio Pompeu – Fundação Cesgranrio

Paixão de Cristo será encenada no Teatro Cesgranrio e na Lapa

Print

A mais linda história da humanidade será contada no Teatro Cesgranrio, de 27 a 29 de março, no espetáculo “A Paixão de Cristo”. Com um elenco de 36 atores/cantores, a peça vai mesclar músicas de cunho religioso e outras conhecidas de musicais famosos da Broadway, como “Godspell” e “Jesus Cristo Superstar”.

20180327_214842

Jesus Cristo será interpretado por Nelson Gaia, que atuou nas peças “Sim, mas não prometo” e tocou percussão na peça “Omi – do leito ao mar”. Já quem assume o papel do diabo é o ator Jack Berraquero, que atua na novela “Deus Salve o Rei” e também participou da série “Verdades Secretas”. Tatty Caldeira, atriz e cantora, que atua no musical “O Homem no Espelho”, empresta pelo quarto ano seguido sua imagem e voz a Maria Madalena.

Com produção geral de Carlos Alberto Serpa e figurinos de Beth Serpa, a encenação é dirigida por Márcio Fonseca. A versão brasileira é assinada por Alexandre Amorim.

 

Serviço:

A Paixão de Cristo
Datas: de 27 a 29 de março
Horário: de terça a quinta, às 20h
Local: Teatro Cesgranrio – rua Santa Alexandrina, 1011, Rio Comprido
Tel.: (21) 2103-9682
Ingressos: R$40,00 / R$20,00
Classificação etária: livre
Duração: 70 minutos
Clique aqui para comprar seu ingresso online

 

Encenação na Lapa, na Sexta-feira Santa

Encenado tradicionalmente na Lapa, o “Auto da Paixão de Cristo” já é um evento muito esperado pelos cariocas. Nesse ano, a montagem será realizada no dia 30 de março, com início previsto para 18h30, após a procissão do Senhor Morto.

O espetáculo, gratuito, é promovido pela Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro, com patrocínio e produção da Fundação Cesgranrio.

“A iniciativa tem o objetivo de oferecer aos cariocas um momento de devoção e aproximação da fé cristã. Com este auto, convidamos os moradores do Rio de Janeiro a recordar e viver o real significado da vida de Cristo”, diz Carlos Alberto Serpa, presidente da Fundação Cesgranrio.

Serviço:

Endereço: Arcos da Lapa
Data e horário: 30 de março, às 18h30
Ingresso: Entrada gratuita

FONTE: http://cultural.cesgranrio.org.br/paixao-de-cristo-sera-encenada-no-teatro-cesgranrio-e-na-lapa/ 

 

Cesgranrio traz o doce sabor da Páscoa para o Rio Comprido – 2018

EXPOSIÇÃO DE 24/03 A 15/04/18

DE QUINTA A DOMINGO, DAS 10h ÀS 17h

O evento não abrirá na sexta-feira santa, dia 30/03/2018

 

IMG_8161

Exposição: “Cadê o Chocolate?” / foto: Luíza Teixeira

O clima de Páscoa vai tomar conta do Espaço Cultural Cesgranrio. O prédio anexo da instituição recebe a exposição “Cadê o Chocolate?” Num evento gratuito, o público vai desfrutar de uma grande brincadeira, que ficará em cartaz até o dia 15 de abril.

IMG_8166
Exposição: “Cadê o Chocolate?” / foto: Luíza Teixeira
IMG_8169
Exposição: “Cadê o Chocolate?” / foto: Luíza Teixeira
IMG_8171
Exposição: “Cadê o Chocolate?” / foto: Luíza Teixeira
IMG_8173
Exposição: “Cadê o Chocolate?” / foto: Luíza Teixeira

As atrações reúnem vários cenários idílicos, como a Casa do Chocolate; Escolinha da Páscoa; a Casa da Alice, com direito a chá com a própria Alice e com o Chapeleiro Maluco; e a toca do Pernalonga. Cada um destes locais foi planejado para criar uma experiência única e envolvente. Além disso, crianças, jovens e adultos vão aproveitar uma série de brincadeiras preparadas especialmente para a data. O evento é recomendado para pessoas de todas as idades.

Teatro

pascoa-2018-fudacao-cesgranrio-2

A programação se completa com a peça de teatro “Cadê o Chocolate?”. A fábula mostra a importância do amor, da fé e da esperança nesta época do ano ao narrar a história dos coelhos Zeca e Tina, que precisam salvar a Páscoa, já que o pai deles, o Coelho da Páscoa, resolve tirar féria e surfar no Havaí. Além de terem que preparar os ovos, eles ainda precisam enfrentar a Bruxa Margot e seu fiel Corvo, que querem ficar com todo o chocolate para eles. No final, tudo deu certo porque eles receberam a ajuda da Fada Florentina. As vagas para o teatro são limitadas, por isso as senhas são entregues na fila, por ordem de chegada.

Segundo o professor Carlos Alberto Serpa, presidente da Cesgranrio, a peça vai recordar os valores da Páscoa cristã:

– Essa fábula vai mostrar de forma divertida e lúdica que é preciso haver diálogo, entendimento e, principalmente, perdão entre as pessoas. Vamos lembrar que a morte e ressurreição de Jesus Cristo, assim como seus ensinamentos, devem sempre nos orientar, para experimentarmos a renovação de nossas próprias vidas.

 

informações

Endereço: Rua Santa Alexandrina, 1122 B – Rio Comprido – Rio de Janeiro / Fundação Cesgranrio, prédio anexo ao campus (antigo Le Buffet)

Data: 24 de março a 15 de abril de 2018

Exposição
Quinta a domingo, das 10h às 17h

Teatro
Teatro Beth Serpa
Peça: “Cadê o Chocolate?”
Quinta a domingo, às 11h, 14h e 16h – (entrada mediante retirada de senha)
capacidade: 80 lugares

A entrada no teatro não está condicionada à entrada na exposição. Haverá distribuição de senhas no local para a entrada no teatro. Teatro sujeito a lotação.

Entrada franca (doação opcional de 1 kg de alimento não perecível)
Fraldário no local

Obs.: O evento não abrirá na sexta-feira santa, dia 30/03/2018

Informações: 2103-9600

Como chegar:

Vindo da Zona Norte: Seguir pela Av. Paulo de Frontin, sentido Túnel Rebouças. Após o Hospital dos Bombeiros, manter a direita. Seguindo a placa para o Le Buffet, passar por cima do túnel para acessar a Rua Santa Alexandrina.

Vindo da Zona Sul: Ao sair do Túnel Rebouças, acessar a Av. Paulo de Frontin, à direita. Fazer o primeiro retorno, em frente ao Hospital dos Bombeiros e manter a direita. Seguindo a placa para o Le Buffet, passar por cima do túnel para acessar a Rua Santa Alexandrina.

FONTE: http://cultural.cesgranrio.org.br/cesgranrio-traz-o-doce-sabor-da-pascoa-para-o-rio-comprido-2018/