Antônio Gois e Maria Helena Guimarães de Castro no Educação 360

Antônio Gois e Maria Helena Guimarães de Castro discutem, no Educação 360, acerca da medida provisória (MP) sobre a reforma do Ensino Médio apresentada pelo governo federal nesta quinta-feira (22).

Anúncios

Entrevista com Professor Carlos Alberto Serpa

IMG_2153

A Fundação Cesgranrio, criada em 12 de outubro de 1971, como Centro de Seleção de Candidatos ao Ensino Superior do Grande Rio (Cesgranrio), sempre esteve a serviço da educação brasileira. Inicialmente, com a realização dos vestibulares unificados, procurava, através da criação do vestibular unificado resolver a situação do acesso às universidades que, na época, começava a ficar insustentável com o número cada vez maior de candidatos excedentes. O primeiro vestibular unificado, realizado em  9 de janeiro de 1972 pelo Cesgranrio, serviu de modelo para outras áreas do país.

Em 4 de janeiro de 1973, foi oficialmente criada a Fundação Cesgranrio, que passou então, além de vestibulares, a realizar pesquisas e a promover simpósios e seminários nacionais e internacionais, não só sobre acesso ao ensino superior como também sobre assuntos que contribuem para a educação como um todo.

Reconhecida pela sua capacidade de organização e lisura, a Fundação Cesgranrio, na década de 80, começou a ser chamada por órgãos públicos e privados para seleção de pessoal, através de concursos.

Antevendo mais uma vez o futuro, a Fundação Cesgranrio começou a se preparar para ingressar na área de avaliação de sistemas de ensino, inaugurando um novo paradigma nacional na área de medidas educacionais ao trazer para o nosso país a Teoria da Resposta ao Item (TRI), utilizada até hoje no país.

E ainda, baseada na experiência e competência de seu corpo técnico, a Fundação Cesgranrio iniciou em 2007, seu Mestrado Profissional em Avaliação, e se encontra em vias de obter autorização do Ministério da Educação para a criação de uma faculdade, com os cursos de Recursos Humanos e Avaliação.

Ao longo de todos os anos, a Cesgranrio vem editando publicações que visam à melhoria da educação, entre as quais a “Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação”, que publica artigos de importantes educadores nacionais e internacionais, figurando nos maiores indexadores do país: “Qualis/Capes” e “Scielo Scientific Eletronic Library Online” e outros internacionais, como Latindez, OEI – Organizacion de Estados Iberoamericanos e Scopus.

Continuando a se dedicar intensamente à educação, através de pesquisas que visem a melhorar o desempenho dos nossos estudantes, no qual a avaliação é um dos itens prioritários, a Cesgranrio vem desenvolvendo o projeto de aplicação de testes adaptativos por computador para serem utilizados em avaliações de larga escala. Um Doutorado em Avaliação também faz parte dos planos da Fundação.

Mas não existe educação sem cultura. E a Cesgranrio comprovou isso, ainda no início da década de 1980, com pesquisas comportamentais realizadas com exclusividade através de questionários socioeconômicos aplicados aos candidatos em seus vestibulares. Tais pesquisas constataram que indivíduos inseridos em ambientes com intensa vida cultural apresentam rendimento escolar e profissional superior aos demais, ou seja, que a educação e a cultura caminham juntas na formação de jovens capazes de construir o país que desejamos.

A Fundação Cesgranrio não poderia ficar indiferente aos resultados de suas próprias pesquisas e fundou, em abril de 1992, o Instituto Cultural Cesgranrio, que desenvolveu vários projetos, alguns dos quais integrando o Estado do Rio de Janeiro a Minas Gerais e ao Espírito Santo. Projetos como “Rio, além das Gerais”, “Riocult, Feira Rio-Cultura e Negócios”, e “Feculte – Feira de Cultura, Turismo e Ecologia da Região do Médio Paraíba” tiveram grande repercussão.

Em 2011, reativou sua área de cultura, criando o Centro Cultural Cesgranrio, que já desenvolveu grandes projetos, como, entre outros, o “Prêmio de Teatro Cesgranrio”, que se constitui no prêmio de maior valor no cenário brasileiro (R$ 300 mil divididos por 12 categorias, inclusive musicais); oficinas de atores, concursos de pinturas e de contos, projeto Teatro nas Escolas (450 anos do Rio de Janeiro) e a criação da Orquestra Sinfônica Cesgranrio, que estreou no dia 30 de junho, no Theatro Municipal.

Muitos também são os projetos que estão em andamento, como a filmagem da segunda temporada da série “Anos Radicais”, a “Oficina de Atores para audiovisual”, e o projeto “Música nas Escolas” (já em fase de produção do segundo livro da série e de gravação do CD).

Outros projetos estão previstos para o segundo semestre deste ano, como Prêmio Cesgranrio de Curta Universitário do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Secretaria do Estado do Rio de Janeiro; projeto Teatro nas Escolas (Olimpíadas); projeto de Ópera Barroca, em parceria com a Unirio, para formação de plateia para música clássica; e Prêmio Literário Cesgranrio, em parceria com a Secretaria Estadual de Cultura.

A ampliação do auditório da Cesgranrio está sendo feita para transformá-lo em um teatro com 300 lugares.

Na área social, desde sua criação, a Fundação Cesgranrio, consciente de sua responsabilidade com a sociedade, instituiu o Programa Bolsas de Estudo, que beneficiou até hoje cerca de 20 mil estudantes, desde a Educação Infantil até a Pós-Graduação.

A partir do ano 2000 ampliou sua atuação na área social, colaborando por meio de aporte financeiro com projetos desenvolvidos por organizações não-governamentais.

Em 2003, a Cesgranrio decidiu que a instituição teria seu próprio projeto social. Nascia, assim, o projeto “Apostando no Futuro”, que tem como objetivo a melhoria da qualidade de vida de todos os moradores das comunidades Paula Ramos, Vila Santa Alexandrina, Parque André Rebouças e Escadaria, situados no entorno da sua sede, no bairro do Rio Comprido.

Há 10 anos, o projeto “Apostando no Futuro” oferece inúmeras atividades na área da educação, cultura, saúde, esporte, lazer, qualificação profissional, encaminhamento de jovens aprendizes para estágios e empregos e oficinas de artesanato para geração de renda.

O projeto possui um Espaço de Inclusão Digital, com oferta de vários programas de informática, e leva informações de interesse dos moradores por meio de seu jornal comunitário “O Progresso”.

Além do “Apostando no Futuro”, integralmente financiado pela Fundação Cesgranrio, coordenado, supervisionado e avaliado periodicamente pela Coordenadoria de Projetos Sociais da Fundação, a Cesgranrio continua apoiando com recursos financeiros os projetos ou programas desenvolvidos pela Fundação Santa Bárbara; Brasileirinho, da GAMC; Associação Católica Nossa Senhora de Fátima; e Sociedade Providência, REFAZER.