Formação de professores e currículo: questões em debate

Antonio Flavio Barbosa Moreira

O artigo traz uma análise teórica sobre a formação inicial docente e suas relações com o currículo. Busca-se, a partir dos argumentos levantados, configurar uma concepção de qualidade na escola e na formação docente, analisando a formação inicial de modo abrangente, para que se evitem parcialidades e fracionamentos. Como conclusões, aponta-se que essa formação não pode ser vista apenas como uma atividade prática, baseada na racionalidade instrumental, mas como atividade intelectual, pautada pelo exercício consciente da crítica e por uma postura humanista.

Deficiência visual: caminhos legais e teóricos da escola inclusiva

O artigo de Fabiane Maia Garcia e Aissa Thamy Alencar Mendes Braz apresenta resultados de uma pesquisa sobre a cegueira e a baixa visão no contexto da democratização do acesso e permanência escolar. A pesquisa parte dos aspectos históricos e legais, que marcam os caminhos da política pública da área, a partir do mote da análise da cegueira, com foco na acessibilidade. Leia o artigo na Ensaio 108:

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362020000300622&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

O que mudou no Ensino Médio?

Paulo Romualdo Hernandes analisa a Lei nº 13.415, no que se refere à problemática determinação de ampliação da carga horária e, também, à proposta de inovações para o currículo sem que tivesse sido feito diagnóstico para essas impactantes alterações. Estudou o conteúdo da lei, tendo como base teórico-metodológica, a Pedagogia Histórico-Crítica, corrente pedagógica elaborada pelo professor Saviani, em seus pressupostos de pesquisa, apoiados pelo materialismo histórico e dialético e em seu entendimento sobre a razão de ser da Educação Escolar: o Ensino e a aprendizagem de conhecimentos complexos, elaborados, sistematizados.

Leia mais na Ensaio 108:
https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362020000300579&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt