Os discípulos do professor Jorge

Prof_Jorge_Ferreira_Silva

(Ou “a multiplicação de uma biblioteca”)

Gabriela Orlando

Desde pequenino Jorge nutria pelos livros um amor incomum. Não era simplesmente pela leitura o amor de Jorge, era pelos livros, sua forma física, o cheiro e as possibilidades oferecidas.
O tema do livro nunca importou. Claro que Jorge se dava o direito de parar de ler quando o assunto não o interessava, mas logo a curiosidade começava a lhe corroer a alma e ele voltava de cabeça fresca e livre de preconceitos.
No início, ainda menino, Jorge não podia comprar todos os livros que desejava então, os pedia emprestado na biblioteca da cidade, aos amigos, aos amigos dos pais, aos amigos dos amigos…
Era um leitor rápido e fervoroso. Gostava de devolvê-los com rapidez para que não perdesse o crédito. Todos os dias antes de dormir, Jorge sonhava em ter sua própria biblioteca, deitava em sua cama, abraçava o livro que estivesse lendo, fechava os olhos e deixava o cheiro das páginas invadir seus pensamentos “minha casa terá tantos livros que meus amigos irão fazer pesquisas lá”, sonhava. “Minha casa terá tantos livros que será fácil se perder dentro de si
mesmo lá”, pensava alto. As páginas amareladas e frouxas de um livro qualquer lhe traziam tantas alegrias que era capaz de passar horas imaginando quem o leu.
Um dia Jorge se viu crescido, tornou-se professor e casou-se com uma linda mulher com nome de flor. Tudo era poesia na vida de Jorge. Teve muitos encontros românticos em livrarias, e além da sonhada biblioteca, construiu com sua Rosa uma belíssima família.

Com o tempo, sua casa passou a ser parte de seu acervo, não o contrário. Eram tantos livros, tantos assuntos, tantas pesquisas, histórias, caminhadas, que seu lar se confundia com quem ele era. Ana Rosa brigava dizia: “para que tanto livro? Preciso de espaço na cama, quero dormir!”, e ficava brava quando juntavam dinheiro para viajar e, ao chegar a fatura do cartão de crédito dizia incrédula: “mais livros, Jorge…?”.
Depois de tanta leitura Jorge ficou cansado e, enquanto descansava um pouco, recebeu um importante chamado. Não podia deixar de ir, embora soubesse que não voltaria. Seguiu seu caminho tranquilo, cheio de amor por sua Rosa, sua casa, seus filhos, netos, amigos, alunos, e claro, seus livros. Deixou com Ana Rosa a missão de multiplicar sua biblioteca, começando outras. Ana Rosa descobriu que Jorge tinha fãs, seguidores, discípulos, e entregou a eles o encargo de continuar lendo. Seus discípulos hoje guardam dentro deles a certeza de que a leitura salva e liberta. E que pessoas livres e sábias têm o poder de mudar o mundo.

Eu tive a honra de conhecer o professor Jorge e imediatamente me tornei sua fã. Hoje, posso dizer com muito amor, admiração e orgulho que faço parte de sua legião de discípulos e estou em constante construção de minha própria biblioteca, com muitos dos livros herdados do professor, através das mãos carinhosas de sua linda flor, Ana Rosa.

Anúncios

Autor: Revista Ensaio

A Revista "Ensaio", de nível internacional, constitui fonte de estudo e de pesquisa para todos os que se interessam pela área de avaliação e políticas públicas em educação. Publicação trimestral internacional, da FUNDAÇÃO CESGRANRIO, com tiragem de 1.500 exemplares, de distribuição gratuita, Ensaio congrega, em seus Conselhos Editorial e Consultivo, educadores internacionais de notório saber, mestres e doutores nas áreas por ela abordadas, para melhor atender à sua especificidade. Avaliada no qualis CAPES como sendo A1 na área de Educação, a Ensaio é uma revista que discute a realidade da educação brasileira, além disso, prima pela amplicação do debate pois abre espaço para que pesquisadores estrangeiros publiquem estudos sobre a realidade educacional de seus países. Trata-se de um veículo de divulgação de pesquisas, levantamentos, estudos, discussões e outros trabalhos críticos no campo da educação, concentrando-se nas questões da avaliação educacional e das políticas públicas em Educação, enfatizando as experiências e perspectivas brasileiras. Ensaio é pluralista do ponto de vista das ideias e das escolas de pensamento, interdisciplinar do ponto de vista das preocupações e metodologias empregadas por seus colaboradores. A revista promove intercâmbio com países da América Latina, México, Espanha, Portugal e a Comunidade de Língua Portuguesa, mantendo também a publicação de artigos em Espanhol e em Inglês. Ensaio tem sido contemplada com o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da CAPES/MEC, cumprindo os requisitos necessários para o recebimento de auxílio editoração. Recebeu conceito internacional "A1" na avaliação dos Periódicos Científicos em Educação realizada, em 2013, pelo Quallis/CNPq e é indexada no SciELO - Scientific Eletronic Library Online e na CLASE - Citas Latinoamericanas em Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM), BBE, DOAJ, Educ@, OEI, EDUBASE, LATINDEX, REDALYC, SIBE, SCOPUS. Buscando se modernizar e atender aos novos padrões das revistas acadêmicas de excelência, a partir de 2015 a revista Ensaio adotou o sistema de submissão de artigos totalmente online. Para acessar o sistema, os autores deverão se cadastrar no site da revista e escolher um login e senha. Com estes dados em mãos, poderão não só submeter os seus artigos, mas também acompanhar todo o processo de avaliação: http://revistas.cesgranrio.org.br/ A Ensaio também adotou o ahead of print. Esta modalidade agiliza a divulgação das pesquisas, aumentando o tempo de exposição dos artigos, beneficiando diretamente nossos leitores e autores. Os artigos publicados em AOP contam com DOI e ficam disponíveis tanto no nosso site, quanto no site do Scielo até serem destinados a um número específico. Informamos também que a Ensaio continua existindo nos dois formatos, o impresso e o online, e com a mesma periodicidade. A qualidade continua sendo importante para a Ensaio e as melhorias feitas visam contribuir para o objetivo maior do periódico: a ampliação do debate sobre a Educação em tempos difíceis.

Uma consideração sobre “Os discípulos do professor Jorge”

  1. Eu também tive a honra de conhecer o Profº Jorge Ferreira em alguns encontros de docentes na Fundação Cesgranrio. Pessoa ímpar e que deixou saudades pela seu jeito especial de ser.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s