O matemático como ponto fora da curva

Por Kaizô Iwakami Beltrão, professor da EBAPE/FGV e consultor estatístico da Fundação Cesgrario, Rio de Janeiro, RJ, Brasil e Mônica Cerbella Freire Mandarino, Fundação Cesgrario, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

A época atual, com a Matemática no Brasil vivendo um momento de euforia com o recebimento da medalha Fields por Artur Ávila Cordeiro de Melo, é bem apropriada para uma reflexão sobre o campo da Matemática e das políticas públicas referentes a essa área. Esse é o objeto do artigo “Evidências do Enade – Mudanças no perfil do matemático graduado”, escrito por Kaizô Iwakami Beltrão e Mônica Cerbella Freire Mandarino e publicado no número 84 da Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Os resultados desse estudo indicam que formamos menos professores de Matemática do que a oferta de vagas possibilitaria e que os concluintes desses cursos possuem, em média, baixa afluência socioeconômica. A melhoria desse quadro é fundamental para superar a baixa proficiência em Matemática da maioria dos estudantes brasileiros, muito distante do nível de excelência de Artur Ávila.

No artigo, os pesquisadores apresentam um diagnóstico da evolução da oferta de vagas, do perfil dos concluintes e sua colocação no mercado de trabalho. O estudo revela que o aumento da oferta de vagas não foi acompanhado por uma maior procura de formação na área. Além disso, o desalento durante o curso é grande e, historicamente, a razão entre o número de matrículas e de concluintes é baixa.

Para posicionar os matemáticos num contexto maior, foi realizada uma descrição do perfil socioeconômico de todos os concluintes das áreas que realizaram o Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes do Ensino Superior) de 2004 a 2012. A análise revela que os concluintes de Matemática estão entre os que possuem, em média, menor afluência socioeconômica dentre as áreas de conhecimento avaliadas pelo Enade. Existe também uma diferença entre os graduados em bacharelado (que, em princípio, não pretendem exercer a docência no Ensino Básico) e em licenciatura, estes últimos ainda menos afluentes. Por fim, o Censo 2010 permitiu detectar que o magistério é a carreira da maioria dos matemáticos, principalmente os do sexo feminino, mas também mostra que muitos atuam em atividades de nível médio ou não afins com a área.

Para chegar a tais resultados, os pesquisadores utilizaram os dados do Enade disponibilizados pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e do Censo Demográfico 2010, coletados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para ler o artigo, acesse:

BELTRAO, K.I and MANDARINO, M.C.F. Evidências do ENADE – mudanças no perfil do matemático graduado. Ensaio: aval.pol.públ.Educ. [online]. 2014, vol. 22, nº 84, pp. 733-753. [viewed December 18th 2014]. ISSN 0104-4036. DOI: 10.1590/S0104-40362014000300007. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362014000300007&lng=pt&nrm=iso

Link externo:

Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação- <http://www.scielo.br/ensaio>

Como citar este post [ISO 690/2010]:

O matemático como ponto fora da curva. SciELO em Perspectiva: Humanas. [viewed 05 March 2015]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2014/12/29/o-matematico-como-ponto-fora-da-curva/

Anúncios

Autor: Revista Ensaio

A Revista "Ensaio", de nível internacional, constitui fonte de estudo e de pesquisa para todos os que se interessam pela área de avaliação e políticas públicas em educação. Publicação trimestral internacional, da FUNDAÇÃO CESGRANRIO, com tiragem de 1.500 exemplares, de distribuição gratuita, Ensaio congrega, em seus Conselhos Editorial e Consultivo, educadores internacionais de notório saber, mestres e doutores nas áreas por ela abordadas, para melhor atender à sua especificidade. Avaliada no qualis CAPES como sendo A1 na área de Educação, a Ensaio é uma revista que discute a realidade da educação brasileira, além disso, prima pela amplicação do debate pois abre espaço para que pesquisadores estrangeiros publiquem estudos sobre a realidade educacional de seus países. Trata-se de um veículo de divulgação de pesquisas, levantamentos, estudos, discussões e outros trabalhos críticos no campo da educação, concentrando-se nas questões da avaliação educacional e das políticas públicas em Educação, enfatizando as experiências e perspectivas brasileiras. Ensaio é pluralista do ponto de vista das ideias e das escolas de pensamento, interdisciplinar do ponto de vista das preocupações e metodologias empregadas por seus colaboradores. A revista promove intercâmbio com países da América Latina, México, Espanha, Portugal e a Comunidade de Língua Portuguesa, mantendo também a publicação de artigos em Espanhol e em Inglês. Ensaio tem sido contemplada com o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da CAPES/MEC, cumprindo os requisitos necessários para o recebimento de auxílio editoração. Recebeu conceito internacional "A1" na avaliação dos Periódicos Científicos em Educação realizada, em 2013, pelo Quallis/CNPq e é indexada no SciELO - Scientific Eletronic Library Online e na CLASE - Citas Latinoamericanas em Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM), BBE, DOAJ, Educ@, OEI, EDUBASE, LATINDEX, REDALYC, SIBE, SCOPUS. Buscando se modernizar e atender aos novos padrões das revistas acadêmicas de excelência, a partir de 2015 a revista Ensaio adotou o sistema de submissão de artigos totalmente online. Para acessar o sistema, os autores deverão se cadastrar no site da revista e escolher um login e senha. Com estes dados em mãos, poderão não só submeter os seus artigos, mas também acompanhar todo o processo de avaliação: http://revistas.cesgranrio.org.br/ A Ensaio também adotou o ahead of print. Esta modalidade agiliza a divulgação das pesquisas, aumentando o tempo de exposição dos artigos, beneficiando diretamente nossos leitores e autores. Os artigos publicados em AOP contam com DOI e ficam disponíveis tanto no nosso site, quanto no site do Scielo até serem destinados a um número específico. Informamos também que a Ensaio continua existindo nos dois formatos, o impresso e o online, e com a mesma periodicidade. A qualidade continua sendo importante para a Ensaio e as melhorias feitas visam contribuir para o objetivo maior do periódico: a ampliação do debate sobre a Educação em tempos difíceis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s